quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Bebê sofre várias mordidas em creche municipal, na Avenida Teresópolis, em Campos



G1

Uma mãe de 25 anos, que prefere não ser identificada, levou um susto ao buscar o bebê de 11 meses em uma creche de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, na última segunda-feira (24). Segundo ela, o menino estava com várias mordidas pelo corpo e com marcas na testa. A mãe disse ainda que ao perguntar sobre os machucados no rosto, a professora mostrou as outras marcas espalhadas pelos braços e costas, dizendo que uma aluna de seis meses deu as mordidas.

“A professora pediu pra eu ficar calma e foi me mostrando as outras marcas, mas como uma mãe fica calma ao ver o filho chorando de dor e todo marcado? Será que ninguém viu enquanto ele era mordido? Ele não vai voltar mais pra essa creche”, comentou a mãe.

No mesmo dia, os pais do bebê registram ocorrência na 146ª Delegacia de Guarus e a criança foi submetida ao exame de corpo de delito.

Terceira Via 

Em entrevista concedida à equipe do jornal Terceira Via, a mãe, Kíssila da Silva Gomes, contou que o filho estava numa sala sem professor, quando outra criança o violentou. “É preciso ter uma autoridade dentro da sala de aula. Meu filho tem marcas na testa, nariz, boca, perna, costas e braço. A direção da escola alega que as mordidas foram provocadas por outra criança de oito meses, que não tem dente na boca. Pela agressão, acredito que tenha partido de uma criança mais velha. Esse mistério ainda não foi desvendado”, disse.


3 comentários:

Carla Sabrina Madureira Alves disse...

Minha filha nao vai mais pra esta creche nunca mais. cade os professor. Desta creche. isso e um absurdo que vergonha oq ouvi que vergonha minha filha nao vai mais pra esta creche eu estou afavor ta mae ta criança

Carla Sabrina Madureira Alves disse...

Eu to afavor ta. mae que absudo o que aconteceu a minha filha. nao vai mais pra esta creche que vergonha

Eliza disse...

Tenho filho matriculado na mesma creche. E estou com vontade de tirar de lá. A respeito das mordidas, cada funcionário dá uma versão diferente. A professora e a auxiliar foram afastadas. Mas isso não resolve o problema. E o trauma desta criança? da família desta criança?
A turma do meu bebê está sem professora a tarde desde que as aulas começaram e por isso ele estão saindo 11:30. Não obtivemos repostas quanto a falta de professor. E só uma correção: a creche fica na av. Petrópolis.