terça-feira, 23 de agosto de 2016

Rosinha ignora crise e paga R$ 17.841,47 por aluguel de carro


310400 2016PD00708 110199
12/08/2016 20140190008630
2016OB09526 LOC SERVICE LOCACOES E SERVICOS LTDA
NF-E90 08.08,CARRO.EXEC.1E2 QUINZ. 17.841,47

Acusados de vários crimes eleitorais, Rosinha e Chicão podem ficar inelegíveis



A prefeita Rosinha Garotinho (PR) e o vice-prefeito Chicão Oliveira (PR) estão na pauta desta terça-feira (23) do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) (aqui). A sessão do TRE começa às 17h.

Já está nas mãos do desembargador Marco José Mattos Couto uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), proposta pelo Ministério Público Eleitoral, que aponta abuso de poder econômico, de poder político, uso indevido de meio de comunicação social, crime eleitoral por propaganda política, propaganda eleitoral (imprensa escrita – jornal, revista, tabloide e internet), durante a eleição de 2012.

A ação pede cassação do registro, do diploma e inelegibilidade.


“Segundo turno” na Justiça – A disputa pela Prefeitura de Campos em 2012, vencida pela prefeita Rosinha no primeiro turno, contou com uma espécie de “segundo turno” nos tribunais. Ao todo, cinco processos começaram a tramita na Justiça: três ajuizados pelo empresário José Geraldo e pelo PRP, um ajuizado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e outro proposto pela coligação do PT, que chegou na segunda colocação do pleito.

A matéria consta no blog do Bastos

Link do TRE/RJ AQUI

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Anjos existem e eu conheci.


Anjos existem e eu conheci.


Em uma manhã qualquer de Janeiro de 2016 andando pela vila de pescadores de Atafona encontrei uma senhora que me disse: Quer uma oração? Vá a São João da Barra e procure uma mulher que mora no centro que ela vai te ajudar.

Lá fui eu, na mesma hora, para o centro de SJB e ao lado do Banco do Brasil bati a campainha de uma casa. Ela atendeu, olhou-me e disse: Meu filho, eu não posso te atender agora, pois você está de sunga, volte às cinco da tarde.

Necessitando muito dela e de suas palavras santas, assim fiz, e às 17 horas, iniciou-se, um amor a primeira vista entre eu e esse anjo que durante um dos momentos mais difíceis de minha vida me estendeu a mão, me fez carinho, me orou, me beijou, me abraçou, foi confidente e me ajudou a ser salvo por Deus.

Na sua casa eu aprendi a ter fé de verdade e a conhecer a magia espiritual que aos poucos moldava minha cabeça naquele difícil verão onde eu tive que atravessar o deserto.

Cheirosa, bem vestida, sorridente, portando colares lindos e cheia de amor, ela sempre dizia ao nos despedir: “Meu neto, meu amor, eu te amo Cláudio”.

Era um ser tão maravilhoso que sempre me dava lembrancinhas e pequenas orações para eu levar para meus filhos.

Ontem, após uma reunião de campanha recebi a notícia de que ela fez a sua passagem e foi se encontrar com a sua mãe e o marido que ela tanto sofria de saudade.

Soube que seu filho encheu-a de perfumes e não deixou que ninguém chorasse a sua partida.
Queria ter me despedido dela em vida. Ontem mesmo, pela manhã iria ligar para ela, que tinha medo de eu não procurá-la mais.

Disseram-me que no final de vida ela já não atendia ninguém, mas eu duvido que se eu ligasse não ouviria o seu sonoro: “Meu amor, que saudade”.

Agora, ela é uma estrela que irei carregar para sempre, pois foi um anjo que Deus escolheu para me ajudar a atravessar um deserto que até então, parecia intransponível.

Como ela me ensinou" Não temo mais o mar, pois firme está minha fé, no meu barquinho está, Jesus de Nazaré".

O céu recebeu um anjo
Amo-te, Eliete Cajueiro.

Cláudio Andrade

TCU entra na caça pelo dinheiro desaparecido da Prefeitura de Campos


O resultado da auditoria interna realizada nas contas da Prefeitura de Campos, por funcionários designados pela prefeita Rosinha, na qual uma ausência física de R$ 109.819.539,37 foi detectada é um dos maiores entraves da atual gestão.

Até a presente data, a prefeita Rosinha não se manifestou acerca do resultado da auditoria. Isso se deve ao fato de que ninguém da cúpula governamental esperava que o resultado dessa análise fosse vazar e chagar às mãos da Oposição e da imprensa.

A apuração, transformada em denúncia e agora aceita pelo TCU, foi feita no período compreendido entre o dia 1º de janeiro de 2009 e 31 de dezembro de 2012.

Matéria completa no Jornal Terceira Via on line. 

Pastor Aldair Souza Rangel do Pq. Guarus também apoia a nossa causa.


quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Participe da nossa caminhada também pelo facebook! Clique e declare o seu apoio com a foto do perfil!

Cláudio Andrade faz caminhada no bairro da Penha




Quero agradecer a Deus e aos moradores do bairro da Penha pelo carinho e atenção. Um bairro com uma população que precisa de atenção.

Estamos monitorando os problemas e apresentando propostas.

#acabouoreduto

A política de todos os dias


Aqueles que enchem o peito para dizer que detestam política precisam rever seus conceitos.
Desde que acordamos até a hora em que vamos dormir estamos consumindo. São produtos e serviços que fazem parte do nosso cotidiano e que sem eles estaríamos estáticos, dada a total dependência.

Porém, nos esquecemos que esses produtos e serviços são bem ofertados ou prestados de acordo com as decisões políticas que acontecem nas casas de leis, notadamente, a Câmara Federal e o Senado Federal.
Os preços do pão ou da gasolina bem como o aumento no plano de saúde ou nas mensalidades escolares possuem de uma forma ou de outra relação com as decisões que ocorrem no centro do poder.

Aqueles que enchem o peito para dizer que detestam política precisam rever seus conceitos, afinal o fato de uma parcela achar bom repudiar essa ciência, é ela que movimenta nosso dia a dia e faz com que tenhamos que tomar decisões pessoais, econômicas e familiares de acordo com o ânimo do que se discute ou se decide nos parlamentos.

Essa dependência que possuímos precisa ser vista de uma forma mais madura. A qualificação daqueles que nos representam é salutar e de extrema relevância para que possamos ter uma estrutura de vida de qualidade em que os bens essenciais relacionados à educação, saúde, transporte e segurança cheguem até nós de forma justa e eficaz.

Grande parcela dos brasileiros não se importa com as oscilações políticas e, por conseguinte, não conseguem enxergar além dos discursos.

A figura do político está desgastada e há milhares de exemplos para ilustrar essa mácula que assombra parcela considerável de detentores de mandato. Todavia, isso não pode servir de motivo para que não nos preocupemos com os rumos a serem seguidos pela política.

Vale ressaltar que somente o tema economia pode destruir uma candidatura, afinal um país com os setores econômicos instáveis é sinônimo de perda de crédito e de confiança. Logo, as decisões tomadas, sejam no Poder Executivo ou Legislativo deságuam em nossas casas, para não dizer em nossas cabeças.

A procuração que entregamos aos nossos mandatários, em muitos dos casos, é dada com desleixo sem que tenhamos a noção da importância de nosso ato. Deixar alguém decidindo por nós o que é melhor ou pior para a nossa família é algo de extrema relevância.

Espero que as linhas escritas para hoje não sejam meros aglomerados de frases. Que a noção da importância da política aflore em nossas mentes pois, só assim, vigilantes e responsáveis poderemos mudar alguma coisa.

Cláudio Andrade.

Diretor do Grupo IMNE e Terceira Via Dr. Herbert Neves declara apoio a Cláudio Andrade 27127

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Rosinha reforma outro traffic calming e divide opiniões


Quem trafega pela área central de Campos deve ficar atento. Mais uma rua está interditada para a reforma de mais um traffic calming (técnica para reduzir os efeitos negativos do trânsito). A Rua Oliveira Botelho - entre as Ruas Governador Theotônio Ferreira de Araújo e Treze de Maio – está com acesso permitido somente aos pedestres. A interdição dividiu a opinião dos motoristas e dos comerciantes. No último dia 28, a prefeitura também demorou quinze dias para executar a reforma do redutor no cruzamento das Ruas 21 de Abril com Theotônio Ferreira de Araújo e causou muita dor de cabeça não só aos comerciantes, mas aos motoristas também.

De acordo com o microempresário Danilo Nunes, o movimento na Oliveira Botelho já não está satisfatório há meses. E agora esta reforma de uma obra já executada há menos de três anos causa ainda mais indignação e decepção na categoria. “Estou fazendo o que posso para não fechar minha loja. Até porque é meu único sustento. Mas, ver a prefeitura refazer obras recém feitas é ter a certeza que está sobrando dinheiro no caixa. Situação bem diferente da maioria dos comerciantes da cidade. Ela (prefeita) poderia era nos visitar e perguntar como está a nossa situação e tentar ajudar com a redução dos impostos, por exemplo”, sugeriu o microempresário.

Anna Célia Gomes trabalha em uma ótica da Rua 13 de Maio. Da porta do estabelecimento, ela observava os operários reconstruindoo traffic calming construído em 2013. “Meu sentimento é de revolta. Moro na Penha e no posto de Saúde de lá faltam alguns remédios básicos. Sem falar que às vezes não tem médico. E a prefeita manda refazer obras pela cidade? Isso é lamentável”.

O taxista Ivanir Almeida disse que o redutor foi mal feito e provocava avarias nos veículos que transitavam por ali. “A lombada estava alta demais e desnivelada com o asfalto. Portanto, o fundo do carro ou o para-choque sempre esbarravam no local. Era preciso cautela para passar por aqui. Acho que a reforma é necessária, sim”, afirmou.

Assim como na obra da Rua 21 de Abril, a prefeitura não divulgou a data de conclusão da execução, tampouco o valor dispensado ao projeto.

Sempre respeitando o princípio do contraditório e buscando as diferentes versões para um mesmo fato, o jornal Terceira Via tentou contato com a assessoria de comunicação da prefeitura, sem obter respostas. Ainda assim, o jornal aguarda e publicará as versões para este fato.

Terceira Via.

domingo, 14 de agosto de 2016

Folha da Manhã: Cláudio Andrade na lista dos puxadores de voto para vereador



Quero agradecer ao povo campista e ao Presidente Estadual do PSDC, Deputado Estadual João Peixoto, ao Presidente municipal Edson Faez e ao vice-presidente Carlos Augusto Siqueira, pela citação de meu nome na lista dos pré-candidatos puxadores de voto do PSDC para a eleição desse ano.

A matéria se encontra na versão impressa da Folha da Manhã de hoje.


Como pré-candidato a vereador, fico muito feliz em saber que meu trabalho de utilidade pública nos presenteou com o reconhecimento popular e dos políticos de nossa região. 

Obrigado.

Mesmo com a Junta Interventora, caos continuam no transporte de Campos


Quase um mês depois da Junta Interventora nomeada pela prefeitura de Campos ter assumido a direção da empresa Turisguá, os problemas no transporte público diminuíram para os moradores da Baixada Campista, mas ainda têm muito a melhorar segundo os usuários do transporte coletivo na região. O decreto começou a vigência no dia 14 de julho, com prazo de até 180 dias, para atuar junto às empresas e consórcios.

“Aumentou o número de ônibus na Baixada Campista, mas ainda não é suficiente para atender toda a população. Acredito que o maior problema seja o horário dos ônibus. Normalmente os ônibus vêm ao mesmo tempo, dois ou três, e depois demora muito tempo para passar outro. Acho que seria melhor colocar horários fixos”, afirmou o vendedor Ronaldo Manhães.

Já a diarista Fernanda Cristina contou que em localidades como Tocos, o serviço não apresentou uma grande melhora. “A demora dos ônibus ainda continua em Tocos. Nos primeiros horários os veículos estão sempre lotados”, frisou

Terceira Via.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Vexame de Rosinha: MP considera nulo Código Tributário municipal

No mandado de segurança, impetrado pela Associação dos Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (Aherj) contra o novo Código Tributário Municipal, o parecer do Ministério Público, assinado pelo Promotor de Justiça de João Luiz Ferreira de Azevedo Filho, foi favorável ao reconhecimento da nulidade absoluta do Código. O Ministério Público apontou a inconstitucionalidade formal do novo Código em razão de seu trâmite sob o regime de urgência, exatamente como deduzido no mandado de segurança.

Em junho deste ano, a Aherj entrou com mandado de segurança coletivo preventivo contra atos de cobrança tributária que as autoridades administrativas queriam impor, baseadas no novo Código. Os argumentos da Aherj tiveram a concordância do Ministério Público, que afirmou que a lei é nula e inconstitucional desde que foi criada.

Importante destacar que o promotor requereu o encaminhamento de cópia de todo o processo ao Procurador-Geral de Justiça para que este promova uma Representação de Inconstitucionalidade contra o Código que, se admitida pelo Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, implicará a declaração de nulidade da lei em favor de toda a sociedade campista. O mandado de segurança proposto pela Aherj, por sua vez, beneficia apenas os hospitais e clínicas associados.

No mandado de segurança, segundo o advogado Carlos Alexandre de Azevedo Campos, responsável pela ação, o próximo passo deverá ser a apreciação da liminar pleiteada, quando o juiz poderá, se concordar com os argumentos da autora e seguir o parecer do Ministério Público, determinar a suspensão da aplicação do Código em face das associadas da Aherj.

domingo, 7 de agosto de 2016

Ivo Pitanguy morre no Rio aos 93 anos


Morreu neste sábado (6) o cirurgião plástico Ivo Pitanguy, aos 93 anos, no Rio. Ele estava em casa e sofreu uma parada cardíaca, segundo a sua assessoria. O funeral está previsto para este domingo (7) no Memorial do Carmo. Seu corpo será cremado.

Pitanguy fez do Brasil a principal referência mundial em cirurgia plástica ao desenvolver técnicas nas áreas de estética e de reparação. Transformou a vida de milhares de pacientes, famosos e anônimos. Formou gerações e gerações de alunos, novos cirurgiões que aprenderam com ele a respeitar e valorizar a autoestima dos pacientes.

G1.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

As chapas para Prefeito de Campos já estão definidas



Caio Vianna e Gil Vianna

Rafael Diniz e Conceição Santana

Nildo Cardoso e Papinha

Chicão e Mauro Silva

Rogério Matoso e Gabi Mariano

Pudim e Edmar Teixeira

sábado, 30 de julho de 2016

Rosinha não presta contas ao Tesouro e Campos fica de fora do índice de gestão


Os municípios brasileiros enfrentam a pior situação fiscal dos últimos dez anos, segundo o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) referente a 2015, divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O índice avaliou as contas de 4.688 prefeituras. Entre os 880 municípios que não entregaram suas contas dentro do prazo previsto para 30 de abril estão Campos dos Goytacazes, e também Aperibé, Bom Jesus do Itabapoana, Itaocara e Miracema.

Estas contas não foram analisadas porque as prefeituras destas cidades não declararam as contas ao Tesouro Nacional dentro do prazo legal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Dos 92 municípios fluminenses, 46 apresentam condição fiscal difícil ou crítica. Entre os que tiveram boa gestão fiscal estão o Rio, Niterói, Macaé, Angra dos Reis, Barra do Piraí, Itaboraí, Maricá e Queimados.

Entre as capitais, o Rio de Janeiro tem a melhor posição no ranking, “fruto, principalmente, de uma arrecadação muito alta e de elevados investimentos”. Nos últimos quatro anos, segundo o economista-chefe da Firjan, Guilherme Mercês, a capital fluminense investiu mais de R$ 21 bilhões, sem comprometer seu orçamento com gastos de pessoal. Segundo Mercês, a crise municipal em âmbito nacional reflete o cenário dos estados e da União. “Na verdade, essa deterioração fiscal foi aparecendo em sequência nos níveis de governo.”

O IFGF é composto de cinco indicadores: Receita Própria, que mede a dependência dos municípios em relação às transferências dos estados e da União; Gastos com Pessoal, que mostra quanto as cidades gastam com pagamento de pessoal em relação ao total da Receita Corrente Líquida (RCL); Investimentos, que acompanha o total de investimentos em relação à RCL; Liquidez, que verifica se os municípios estão deixando em caixa recursos suficientes para honrar os restos a pagar acumulados no ano; e Custo da Dívida, que corresponde às despesas de juros e amortizações em relação ao total das receitas líquidas reais.

De acordo com o estudo, 87,4% das prefeituras brasileiras apresentam situação fiscal entre difícil e crítica, com base nos dados de 2015. “Nove em cada dez prefeituras estão em situação difícil ou crítica e quase um terço delas se mostra em uma situação crítica, ou seja, à beira da falência”, acrescentou Mercês.

Apenas 12,1% das cidades têm condições consideradas boas e apenas 0,5% excelentes. As 30 cidades com nível excelente gestão fiscal estão distribuídas em vários estados do país, o que, segundo Mercês, mostra que a “localização geográfica não é o determinante de uma boa gestão fiscal e, sim, as atitudes dos gestores perante o orçamento público”.

Melhores

O município mais bem avaliado no ranking geral do IFGF é Ortigueira (PR), seguido de São Gonçalo do Amarante (CE), São Pedro (SP), Paranaíta (MT), Bombinhas (SC), Gramado (RS), Louveira (SP), Indaiatuba (SP), Cláudia (MT) e Matinhos (PR).

Segundo o economista-chefe da Firjan, essas cidades têm em comum o fato de terem conseguido atrair grandes empreendimentos, como indústrias ou obras, ou estão voltadas para o turismo. No entanto, Mercê destacou que não basta ter uma boa arrecadação para alcançar bons níveis de gestão fiscal. “Na verdade, essas cidades, além de um grande potencial de arrecadação, conseguiram não comprometer suas receitas com pessoal e ter alto nível de investimentos”, explicou.

O mais importante para as prefeituras, segundo Mercês, é o binômio gastos de pessoal e investimento. “Os dados mostram que as prefeituras que comprometem grande parte do seu orçamento com gastos de pessoal deixam muito pouco espaço para a execução dos investimentos. E o inverso também é verdadeiro. A grande perversidade apareceu nos gastos com pessoal, onde quase 800 prefeituras no Brasil já estouraram o limite de 60% da receita estabelecido pela LRF.”

Com o crescimento dos gastos de pessoal, os investimentos caíram muito nas prefeituras, segundo o levantamento da Firjan. De 2014 para 2015, o investimento dos municípios diminuiu mais de R$ 11 bilhões. “Isso significa menos investimentos em educação, saneamento básico, saúde”, listou o economista.

Terceira Via.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

CDL, Rosinha diz: " aquele que não for escolhido tem que sair de cabeça erguida"


Os pré-candidatos do grupo de Garotinho - Paulo Hirano, Eduardo Crespo, Mauro Silva, Fábio Ribeiro e Dr. Chicão - estão reunidos a portas fechadas com vereadores, presidentes dos partidos, a prefeita Rosinha e 21 representantes dos Núcleos de Organização Social (NOS) para definir o candidato à sucessão de Rosinha. A imprensa não tem acesso ao local.

A reunião na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) deve durar cerca de duas horas. Somente depois, o grupo vai divulgar o escolhido para ser o candidato à prefeitura e o nome do vice que vai compor a chapa. A disputa é entre Paulo Hirano - o preferido de Rosinha e Garotinho - e Dr. Chicão - candidato do partido com melhor desempenho nas pesquisas.

Nos últimos dias, no entanto, o nome de Dr. Chicão cresceu. Um dos dois terá o líder do Governo na Câmara, Mauro Silva (PSDB), como vice. Isso se deve ao fato de que o partido tucano dispõe de preciosos minutos no rádio e na televisão durante o período de propaganda eleitoral.

Em seu discurso de abertura do evento, Rosinha destacou que "todos os que se colocaram à disposição do grupo, aqueles que já desisitiram, todos têm condições de fazer parte do projeto. Não estamos tratando apenas de nomes, nem de pessoas. estamos tratando de um projeto para Campos".

Adiante, Rosinha recomendou: "No final, aquele que não for escolhido no que estiver pleiteando tem que sair de cabeça erguida, com o mesmo objetivo do grupo", concluiu.

Terceira Via.

Placar do PR

Chicão 50%
Fábio 25%
Paulo Hirano 25%