quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Uma emboscada para Rafael Diniz


O Diário Oficial do município tem sido uma fonte inesgotável de informações assustadoras acerca do que será encontrado pelo prefeito eleito Rafael Diniz a partir de janeiro de 2017.

Na página seis do citado Diário, do dia sete de Dezembro, as dívidas de longo prazo da Prefeitura de Campos totalizam o assustador montante de R$ 2.173.668.505,80, sendo dividido da seguinte forma: empréstimo de longo prazo R$ 694.340.394,54; PreviCampos/Parcelamento R$ 153.420.930,10; INSS/parcelamento 540.919.464,44 (caso não seja pago em dia retém o FPM, verba federal) e Cessão de direitos de royalties e Participação Especial R$ 1.479.328.111,28.

Dentro desse contexto, chegamos à estarrecedora constatação de que somente o pagamento anual da dívida lastreada em petróleo é de 148 milhões de reais já em 2017.

Questão não menos importante se refere ao orçamento per capita do município. Após dispor de seis mil reais em 2014, a gestão comandada pelo prefeito eleito Rafael Diniz vai dispor em 2017 de apenas três mil reais de orçamento per capita.

A título exemplificativo, Betim - cidade industrial em Minas Gerais dispõe de três mil e quatrocentos reais; São Caetano no interior paulista disporá de seis mil e oitocentos reais e Barueri cerca de sete mil e seiscentos.

Dentro desse contexto, não podemos negar que o orçamento previsto para Campos ainda é bom, contudo, bem abaixo dos valores conferidos a outros municípios de porte médio e de grande relevância na da região Sudeste.

O prefeito eleito vem alardeando, nos últimos dias, a dificuldade que sua equipe de transição está tendo para obter de Rosinha os dados governamentais necessários para que possamos fazer um ‘raios-X’ dos meandros administrativos.

Essa transição de araque é irresponsável, pois atinge em cheio os cidadãos campistas, afinal no dia primeiro de Janeiro, setores como o da saúde (onde no HGG ocorreram três óbitos em doze horas por falta de UTI) estarão com suas ‘feridas’ expostas.

Seguindo por essa linha de raciocínio a nova composição de vereadores na câmara será de extrema relevância, pois será através dela que o prefeito poderá encontrar o apoio necessário para a sua governabilidade.

Assim sendo, esperamos que a casa de leis, em 2017, seja palco de discussões engrandecedoras. Os debates de baixo nível e fora do contexto político social serão repudiados pela sociedade, pois é a qualidade de vida e a saúde financeira do município que estará em jogo.

Cláudio Andrade.

6 comentários:

Anônimo disse...

Ainda nem começaram a governar e,como o governo atual adora fazer,já estão culpando o antecessor??
Apenas cumpram o que nos prometeram!!

ELVIA RANGEL CORDEIRO disse...

Sai fora rosáceo!
Opina na sua curriola!!!

Anônimo disse...

Falou tudo Anônimo.

Anônimo disse...

Faça os concursados e servidores do estado cumprirem carga horária.Por exemplo, motoristas tem carga horaria 24h semanal. Se todos cumprirem sua carga horária, não há necessidade de ter empresas terceirizadas. Só acho.

Fiscal de Transporte disse...

Sou Fiscal de Transporte da Prefeitura de Campos (IMTT), com ingresso no concurso de 2012.
Como sei que você tem acesso direto ao novo prefeito - o qual tenho simpatia e desejo muito sucesso em sua gestão, gostaria de informar algumas coisas que melhorariam muito o serviço de fiscalização de transporte no nosso querido município.
1. DECRETO DESATUALIZADO - O Decreto que nós Fiscais utilizamos para lavrar as multas é o 30/85. Isso mesmo, de 1985! Por conta disso, necessita de urgente atualização, pois não contempla pontos como acessibilidade de cadeirantes por meio de elevador nos ônibus, coisa que não existia naquela época, e outras questões. Basta uma rápida lida no referido Decreto para que seja visto seu texto discrepante e até mesmo bizarro para os dias atuais.
2. MULTAS - As multas não estão sendo pagas! Não são todas é claro. Porém, com informações que tenho (e que vocês também podem ter), as empresas/consórcios de ônibus do município não pagam, nem recorrem de nenhuma multa que recebem já há alguns meses. Algumas empresas se recusam inclusive a receber os autos de infração. Isso acontece simplesmente pelo fato de nada acontecer a elas por conta do não pagamento dessas multas, que, por serem ignoradas, são enviadas para o setor da Dívida Ativa no CESEC, não sabendo eu informar o seu fim. Sugiro que arrumem um jeito de descontar esses autos de infração do repasse, porque do jeito que está não dá. Sei que alguns taxistas e permissionários (vans) pagam (e recorrem) as multas, mas o número é pequeno em relação ao total. As empresas/consórcios/permissionários/taxistas tem que sentir no bolso para que o Fiscal de Transporte - que é a autoridade da Prefeitura neste setor - seja respeitado, e, em tempos de crise, essa arrecadação pode ser importante para utilização em prol do transporte (e do trânsito) do nosso município.
3. CHEFE DE FISCALIZAÇÃO E PRESIDENTE DO IMTT – Peço encarecidamente ao novo Prefeito que nomeie pessoal técnico para as referidas funções. Precisamos de alguém que tenha noção do serviço, que pense o transporte de forma ampla, que ouça e dialogue com os Fiscais e faça uma ponte até o Prefeito e seus assessores. Melhor ainda se for gente de outro município ou que não possua nenhum vínculo com empresas/consórcios/permissionários/taxistas de Campos.
4. VALORIZEM OS FISCAIS – Não estou falando em valorização financeira e sim da própria função. Ninguém gosta de trabalhar num departamento que não funciona, com pessoas indicadas por vereadores que não sabem o que estão fazendo lá. Apesar de ser um cargo de nível médio, entre os fiscais, existem várias pessoas com formação em diversas áreas acadêmicas, como Direito, Serviço Social, Ciências Sociais, Geografia, Nutrição etc. Pessoas com noção de mundo, muito diferentes dos que trabalhavam antes do concurso. Gente capacitada não falta para trabalhar e fazer diferente, porém nada conseguimos fazer com um governo populista e ineficiente como o atual.
5. ANÔNIMO – Mantenho meu anonimato não por medo de represálias, pois creio que vocês representam outro tipo de governo, mas porque o que quero é simplesmente ajudar o novo gestor. Não quero nada em troca, apenas trabalhar num lugar eficiente, que funcione!!! Tenho esperança em vocês! Olhem pelo IMTT e pelos passageiros que não aguentam mais a ineficiência do setor de transporte.
POR FAVOR, NÃO PUBLIQUE ESSE TEXTO NO BLOG, LEVE A QUEM POSSA FAZER ALGUMA COISA. CONTO COM VOCÊ!!!

Anônimo disse...

Falou tudo anônimo das 09:36. Parabéns!!!!
Disse tudo com poucas palavras.